Mau hálito não é transmitido pelo beijo

22 de Outubro de 2018

Mau hálito não é transmitido pelo beijo

Entenda, de uma maneira descomplicada, porque o mau hálito (ou halitose) não é transmitido pelo beijo. Existem cerca de 90 causas para o mau hálito que se dividem basicamente em causas bucais, originadas na boca, e causas extrabucais, que são originadas fora da cavidade bucal. Estudos recentes indicam que cerca de 95% dos casos de mau hálito são de origem bucal.

É comum que quem esteja se relacionando com alguém que as vezes tenha mau hálito fique com medo de ser “contaminado” e se pergunte:

“Será que o mau hálito pode ser passado pelo beijo?

Pode ficar tranquilo quanto a isso, já que o mau hálito não é transmitido ou passado pelo beijo, ou de qualquer outra maneira, pois a halitose não é contagiosa. Isso ocorre porque o mau hálito é provocado por bactérias que já existem na boca das pessoas. O que faz com que essas bactérias comecem a produzir maus odores é uma maior disponibilidade de substrato proteico, que serve de comida para essas bactérias, que gera mau cheiro ao ser degradado. Alguns exemplos de substratos que servem de alimento para as bactérias proteolíticas, responsáveis por causar a halitose, são as células epiteliais descamadas, que são minúsculos pedacinhos de pele que se soltam dos lábios e bochechas, os restos salivares ou o muco (catarro), entre outras fontes proteicas.

Entretanto, é importante ficar atento, pois o mau hálito pode significar algum problema com a saúde bucal. A saburra lingual, placa bacteriana esbranquiçada que se forma no fundo da língua, e as doenças de gengiva, são as principais causas bucais diretas do mau hálito e a baixa produção salivar, a principal causa indireta.

Nesses casos, um profissional qualificado no tratamento da halitose deve ser consultado. Os tratamentos passam por mudanças de hábitos de higiene, que devem incluir a higiene da língua além dos dentes e gengiva e também da garganta, com um enxaguatório ou enxaguante que proporcione bons resultados e que não contenha álcool ou lauril sulfato de sódio. Outra opção, especialmente para quem não possa pagar por um tratamento ou resida longe de locais com profissionais qualificados, é o uso dos Kits de produtos Halitus, que tem eficácia comprovada por pesquisas no controle da halitose de origem bucal.

Para prevenir o aparecimento do mau hálito, tomar ao menos 2 litros de líquido por dia, fazer uma higiene bucal detalhada e correta, que inclua a limpeza dos dentes, gengiva, língua e garganta, evitar o jejum prolongado, acima de 4 horas sem se alimentar, controlar o estresse excessivo e evitar ou ingerir com muita moderação os alimentos com alto teor de proteína e gordura animal, como os embutidos (salame, mortadela, etc.), carnes gordurosas e o alho e a cebola crus ou fritos.

Compartilhe