Mau hálito e o Ronco

20 de Dezembro de 2010

Mau hálito e o Ronco

Eu, Dr. Maurício Duarte da Conceição, Diretor da Clínica Halitus, especializada no tratamento do mau hálito (halitose), percebi há muitos anos atrás, após tratar centenas de pacientes, que certos pacientes que nunca tiveram mau hálito, começaram a ter halitose após começarem a roncar.

Além disso, notei que pacientes com classes III e IV da Classificação de Mallampati modificadaClassificação de Mallampati modificada (FOTO AO LADO), que têm uma grande possibilidade de roncar e vir a desenvolver a apnéia, especialmente se ganharem peso, também tinham dificuldade em fazer a limpeza de suas línguas, devido ao reduzido espaço que têm entre o fundo destas e o céu da boca (pálato mole).

Para estes pacientes, eu desenvolvi uma técnica de limpeza da língua específica e Produtos especiais, que foram por mim apresentadas no Congresso Mundial de Halitose (Breath 2009), em Dortmund, Alemanha.

Estes produtos podem ser encontrados no site www.halitofresco.com.br e as técnicas e pesquisas em www.halitofresco.com.br/pesquisas.

O ronco, por ser uma forma de respiração bucal, aumenta o ressecamento e descamação de células da mucosa bucal (minúsculos pedacinhos de pele que se desprendem dos lábios e bochechas), que irão alimentar a formação da saburra lingual e cáseos amigdalianos, grandes vilões do mau hálito.

Finalizando, tanto o ronco como o mau hálito trazem um profundo prejuízo na vida conjugal e familiar, por isso é fundamental buscar tratamento especializado para rapidamente recuperar a qualidade de vida, segurança e autoestima, em todo os sentidos.

Saiba mais: http://www.roncoeapneia.com.br/

Compartilhe

Comentários

Deixe seu comentário abaixo.